Os 5 tipos de mapeamento de processos mais usados e a solução definitiva

Mapeamento de processos é uma metodologia que traduz de forma visual e gráfica, usando símbolos previamente definidos, as etapas de um processo, suas tarefas e atividades, seus agentes, entradas e saídas, com o objetivo de se conhecer o processo profundamente para que se possa analisá-lo em busca de futuras melhorias e otimizações.

Um dos mais conhecidos tipos de mapeamento de processos é o fluxograma, mas, nesta postagem, vamos estudar mais alguns deles:

Tipos de mapeamento de processos:

Veja mais em nosso blog: Mapeamento de Processos: fluxogramas e seus segredos

5 tipos de mapeamento de processos

1- Fluxograma de processos

Fluxograma, também conhecido como flowchart, é o desenho simplificado de um processo usando determinados símbolos padronizados.

Este recurso gráfico, como os demais que analisaremos, tem o objetivo de facilitar a análise dos processos com o objetivo de se procurar oportunidades de melhoria.

Na verdade, o fluxograma é um dos tipos de mapeamento de processos mais simples, com notações um pouco limitadas e, por isso, foi sendo gradualmente cimplementado por outras metodologias.

Veja um exemplo de fluxograma de processo:

Confira em nosso blog: Exemplos de fluxogramas de processos que toda empresa precisa  ter

2- Fluxograma horizontal

Devido a algumas limitações dos fluxogramas, que os fazem não representar com perfeição todas as características de um processo, foi criado um outro tipo de mapeamento de processo chamado de fluxograma horizontal.

Nesse caso, o fluxo de tarefas é transferido para uma matriz que indica, no eixo horizontal, quais os processos em andamento e, no vertical, quem são os responsáveis pelas tarefas ou etapas de cada processo.

No exemplo abaixo os responsáveis são representados por unidades de produção, veja:

Confira também: Simbologia de fluxograma de processos sem mistérios

3- Mapofluxograma

Este é um dos tipos de mapeamento de processos menos conhecidos, no entanto, bastante útil para quem trabalha com plantas produtivas e linhas de montagem.

Trata-se da união do fluxograma de processos com o layout de uma linha de produção, representado-o visualmente de forma sobreposta à planta do local onde ocorrem os processos.

Ele é especialmente útil para processos produtivos onde há muita movimentação de materiais e a necessidade de estocagem de componentes.

Confira este exemplo:

4- Diagrama sistemático UML – Unifield Modeling Language

Em uma tentativa de normatizar os tipos de mapeamento de processos, foi criado o diagrama UML, que poderia ser traduzido como Linguagem de Modelagem Unificada.

A ênfase da UML é permitir que se acompanhe o mapeamento do processo ao longo do tempo, muito usada em gestão de negócios e programação, empregando como elementos principais a estrutura do processo, os comportamentos e as interações.

Veja um exemplo bem específico do uso de um diagrama UML:

Veja também em nosso blog: Modelagem de processos: 6 PDFs, 5 vídeos e 4 Slideshares

5- BPMN – Business Process Model and Notation

Atualmente, o mais usado e reconhecido internacionalmente dos tipos de modelagem de processos é o BPMN, que inclusive conta com uma instituição normativa oficial.

A grande vantagem da BPMN é que ela apresenta o processo de uma forma bastante clara e intuitiva, algo que era muito difícil de se fazer antes de sua criação.

Além disso, como seus símbolos são padronizados, usando formas e cores pré-definidas, qualquer um que conheça a notação poderá entender facilmente um processo modelado que tenha usado esses mesmos critérios, facilitando a entrada de novos integrantes em uma equipe ou a apresentação das modelagens para clientes internos e externos.

A notação se baseia no uso de 5 elementos principais:

  1. Objetos de fluxo
  2. Objetos de conexão
  3. Swim lanes (piscinas e raias)
  4. Artefatos
  5. Objetos de dados

Veja um exemplo desse tipo de mapeamento de processo:

tipos de mapeamento de processos

Você pode saber mais acessando estas postagens de nossos blogs:

 

Quer aprender mais sobre BPMN?

Então assista no vídeo abaixo uma aula de demonstração do curso de modelagem BPMN do HEFLO.

 

2 Comentários. Deixe novo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu