Gateways: exclusivos, inclusivos e muitos outros!

Parafraseando Pascal (Matemático, Cientista e Filósofo francês, ver Teorema de Pascal e Princípio de Pascal), o BPM tem segredos que a própria razão desconhece…

Quem trabalha com otimização e modelagem de processos BPMN precisa dominar estes conceitos de gateway exclusivo, inclusivo e diversos outros deles com clareza, para que o resultado de seu trabalho seja assertivo e dentro dos padrões determinados pela notação BPMN 2.0.

Saiba mais: Porque e como usar a mais aceita notação BPMN 2.0

Portanto, chega de filosofar e tecer teorias sobre este assunto, vamos aprender ainda mais sobre gateways exclusivos, inclusivos e implícitos.

Tudo sobre gateways inclusivos, exclusivos e paralelos

Na hora de definir workflows, gateways são elementos importantíssimos, pois podem:

  • Apontar rotas alternativas.
  • Caminhos paralelos.
  • Unificar fluxos.

Importante: Gateways não podem ser confundidos com decisões. Eles não tomam as decisões, apenas direcionam o fluxo conforme as decisões tomadas anteriormente (tipicamente em uma tarefa).

Em outras palavras: o gateway é usado para controlar o fluxo do processo e definir ramificações, bifurcações, fusões e união de caminhos.

 

Além das regras definidas na especificação existe no mundo do BPMN um conjunto de conceitos e idéias denominado “boas práticas”. Neste artigo vamos adotar como referência aquelas definidas por Bruce Silver no livro BPMN Method and Style.

Saiba mais: GUIA: os 10 erros mais comuns a evitar com símbolos de BPMN

Os 8 tipos de gateways: inclusivo, exclusivo e muito mais

Vamos às definições a à notação BPMN 2.0 de cada gateway:

Gateway Exclusivo: Pode ser representado tanto por um losango com um X, como sem o X:

Gateway exclusivo

Ao dividir o fluxo, ele encaminha a sequência exatamente para um dos ramos de saída. Embora seja prática comum fazer a convergência, ela é opcional para o Exclusivo e segundo o guia de estilo de modelagem de Bruce Silver deve ser evitado.

Gateway Inclusivo: Losango com uma circunferência dentro.

Tipos de Gateways - Gateway inclusivo

Ao dividir, um ou mais ramos são ativados dependendo de uma fórmula configurada em cada fluxo de sequencia. Todos os ramos de entrada ativos devem se completar antes de convergir em outro gateway.

Veja abaixo como funciona o gateway inclusivo:

Notação BPMN | Como funciona o Gateway Inclusivo

Gateway Paralelo: O losango deve ter uma cruz em seu interior.

Tipos de gateways - gateway paralelo

Quando usado para dividir o fluxo de sequência, todos os ramos de saída são ativados simultaneamente. Ao convergir ramos paralelos, ele espera que todos os ramos de entrada se completem, antes de iniciar o fluxo de saída. Existe  uma única situação onde este sincronismo não é necessário. Você sabe qual é? Se a convergência for antecedida por um finalizador sem trigger então não é necessário o gateway de convergência!

Gateway Complexo: A notação correta deve ser um losango com um asterisco dentro dele.

Tipos de Gateways - Gateway complexo

O gateway complexo representa desvios e convergências que não podem ser representadas usando os demais gateways. Esta “complexidade” é implementada por meio de uma regra definida no próprio gateway, que permite maior flexibilidade no controle do fluxo.

Gateway Baseado em Eventos: Dentro do losango há uma circunferência dupla, dentro da qual se encontra um hexágono.

Tipos de Gateways - Gateway evento

É sempre seguido por um evento intermediário ou tarefa de recebimento de mensagem. A sequência do fluxo é encaminhada para o evento ou tarefa seguinte que ocorrer primeiro. Normalmente usamos quando o desvio é provocado por um participante externo.

Gateway Inicial Exclusivo: É representado por uma circunferência simples com um hexágono dentro.

Gateway inicial exclusivo

Você sabia que um gateway também pode iniciar um processo? Neste caso cada ocorrência de um evento subsequente inicia nova instância do processo.

Gateway Inicial Paralelo: Simbolizado por um losango onde se encontra uma circunferência com uma cruz dentro dela.

Tipos de gateways - Gateway inicial paralelo

Só com a ocorrência de todos os eventos subsequentes se inicia uma nova instância do processo.

Gateway Implícito: não tem um símbolo padrão.

Exemplo:

Na verdade, são tarefas com vários fluxos de saída, com um comportamento de Split, semelhante ao dos gateways paralelos. Estes fluxos de sequencia podem também receber uma condição e neste caso o arranjo é similar a um gateway inclusivo. Mas cuidado! Evite usar condições em gateways exclusivo. Isto não é uma boa prática.

Se você quer mais esclarecimentos sobre os tipos de gateways inclusivos, exclusivos e os demais deles, além de outros assuntos referentes a automação de processos de negócios, existem diversas alternativas:

Veja também: Notação BPMN – A notação mais aceita para modelar processos

Depois de todas estas explicações, você já está preparado para melhorar o desempenho de sua empresa, automatizar processos, controlar tarefas e conseguir mais produtividade em seu negócio com auxílio do BPM.

3 Comentários. Deixe novo

  • Wallace Oliveira
    Wallace Oliveira
    novembro 18, 2016 10:17 am

    Olá pessoal;

    Gostaria de mencionar que, se você precisa de ajuda para implementar as dicas acima ou se deseja simplesmente fazer o seu negócio crescer, fique à vontade para falar comigo.

    Eu tenho um objetivo pessoal de fazer com que você e seu negócio sejam um sucesso. 🙂 Em breve deveremos novidades sobre isto!

    Responder
  • Ao usar o gateway inclusivo para divergir o fluxo (em um cenário em que o mesmo pode seguir por mais de um caminho) o mesmo deve ser obrigatoriamente unificado em outro gateway inclusivo? após a realização das atividades realizadas entre um e outro ? ou não se faz necessário?

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu