Os 3 passos para o uso de ferramentas de transformação digital nas empresas

A transformação digital consiste em empregar os últimos avanços da tecnologia em seu negócio para que eles proporcionem uma vantagem competitiva diante de seus concorrentes.

Quando se toca no assunto, muitos gestores e empreendedores imaginam que devem usar ferramentas de transformação digital em suas empresas do nível da internet das coisas, inteligência artificial, machine learning e big data.

Sim, essas tecnologias são importantes e muitas empresas já estão se beneficiando delas, mas antes de pensar em usá-las no seu negócio, duas questões precisam ser respondidas:

  1. Sua empresa já está preparada para elas?
  2. Qual o objetivo estratégico de empregar essas ferramentas de transformação digital em sua empresa?

No primeiro caso, uma organização que ainda gerencia processos por e-mail ou trocando planilhas eletrônicas não pode querer saltar desse patamar tecnológico para o uso massivo de ferramentas de transformação digital tão avançadas com as que citamos.

No segundo, é preciso entender que ferramentas de transformação digital não são um objetivo, mas um meio de se atingir um resultado.

Investir altas somas na aquisição de novas tecnologias sem um planejamento de como isso pode trazer vantagens competitivas para sua empresa, simplesmente não faz sentido.

Nesse contexto, propomos a adoção gradual de ferramentas de transformação digital empresarial em seu negócio, divididas em 3 frentes que vamos detalhar a seguir.

Leia em nosso blog: A matriz de maturidade digital do modelo de transformação digital

Ferramentas de transformação digital nas empresas: 3 níveis de atuação

Com o objetivo final de transformar o modelo de negócios de forma disruptiva, se possível, a transformação digital das empresa acontece basicamente em 3 níveis:

  • Transformação da experiência do cliente
  • Transformação da experiência dos funcionários
  • Transformação dos processos operacionais

A transformação digital nas empresas, visando o modelo de negócios em si, será uma consequência dessas 3 práticas.

1- Transformação da experiência do cliente

As mais usadas ferramentas de transformação digital nas empresas com este objetivo, não são nenhuma novidade. O que vai gerar alguma vantagem competitiva, nesse caso, é a integração dessas ferramentas já empregadas para se conseguir informações relevantes sobre seu público e como mudar sua experiência de consumo.

Assim, blogs, mídias sociais, aplicativos em smartphones, captura de dados no PDV (com Beacons, por exemplo), geolocalização, chats online para atendimento ao cliente são apenas o primeiro passo.

A verdadeira transformação digital de segundo nível estará no uso de todas as informações obtidas com essas ferramentas digitais de relacionamento com cliente, de forma integrada e estratégica.

Mas isso não basta, outras ferramentas de transformação digital na empresa precisam ser empregadas para se conseguir ainda mais informações.

Softwares de analytics, como os oferecidos pelo Google e outros com mais recursos, como Semrush e Moz, além de mapas de calor, como Hotjar, Cliktale e Crazy Egg, entre outras, podem ser bastante úteis.

Por fim, depois de sua empresa chegar neste segundo nível, aí sim ela poderá pensar em tecnologias de última geração, como big data ou werables, por exemplo, para colher e analisar dados de forma ainda mais eficiente, buscando maneiras de transformar a experiência do cliente em busca de vantagens competitivas.

Veja também: Processo de transformação digital nas empresas: 5 passos fundamentais

2- Transformação da experiência do funcionário

Como dissemos antes, se sua gestão ainda carece de ferramentas de transformação digital básicas, baseadas em algo já consolidado como a computação em nuvem, providencie isso antes de qualquer iniciativa rumo a uma transformação digital mais profunda em sua empresa.

São imprescindíveis ferramentas de comunicação interna do tipo do Slack e do HipChat, ferramentas de gestão de equipes e projetos, como Trello, Jira e Basecamp, sistema de CRM e ERP, entre outros.

Mesmo porque, sem estas habilidades básicas e uma cultura tecnológica consolidada em sua organização, será impossível que sua força de trabalho possa lidar com ferramentas de transformação digital nas empresas mais complexas, como IA ou machine learning, de forma a gerar alguma vantagem competitiva sustentável.

3- Transformação dos processos

Uma empresa que não pratica a modelagem, automação e melhoria contínua de processos não tem porque falar em outras ferramentas de transformação digital antes de implementar esta.

Com os dados obtidos com as ferramentas de transformação digital da empresa para melhorar a experiência do cliente, mais a nova postura e cultura tecnológica de uma força de trabalho colaborativa e inserida no universo digital, é hora de empregar um software BPM para tornar os processos da empresa mais eficientes e eficazes.

Ao automatizar processos, a empresa terá acesso a dados e indicadores de performance em tempo real, permitindo que tome as melhores decisões estratégicas sobre os rumos da empresa e quais novas tecnologia são a mais adequadas para que ela consiga vantagens competitivas diante de seus concorrentes.

Essa é a maneira correta de promover a transformação digital das empresas: analisando informações e traçando planos de longo prazo, com objetivos definidos. Não simplesmente adquirindo tecnologias que, em alguns casos, ainda não se é capaz de operar adequadamente.

Saiba mais: Onde se apoiar e que agentes usar para a transformação digital

Conheça HEFLO, um software de modelagem e automatização de processos Low Code e baseado na nuvem, que pode ajudar muito sua empresa a promover a transformação digital de seu negócio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu