Solicitação de material: confira todas as etapas deste fluxo

Com a facilidade que se consegue hoje, com a ajuda da internet, pesquisar, cotar, pedir orçamentos, fazer a solicitação de materiais, pagar e receber pedidos, as empresas precisam ter muito cuidado para se evitar erros, desperdícios e até mesmo fraudes.

Se por um lado a tecnologia da informação e o cloud computing trouxeram muita agilidade ao processo de solicitação de material, por outro, é necessário tomar os devidos cuidados para que ele ocorra de forma transparente e, principalmente, que permita rastrear os responsáveis por todas as ações executadas.

Nesse contexto, a modelagem de um processo de solicitação de material deve seguir um fluxo determinado e padronizado, que obedece uma série de etapas e inclui diversos agentes.

Nesta postagem, além de conhecer em detalhes este processo de solicitação de materiais, você terá acesso a um diagrama de fluxo de processos de solicitação de material pronto para usar e totalmente editável para suas necessidades.

Baixe Agora: Fluxo de Solicitação de Materiais

Veja também: Curso de Modelagem de Processos de Negócio com BPMN

As 5 Etapas do processo de solicitação de compras

Este processo inclui 2 atores, solicitante e almoxarifado, que atuam em 2 raias de uma piscina. Além disso, pode haver necessidade de se acionar outro processo, o de compras, em outra piscina.

1- Solicitação do material

Nesta etapa, o solicitante preenche um formulário de solicitação e envia para o almoxarifado.

Ele deve relacionar todos os itens da demanda, informando quantidades, o descritivo e a data de entrega.

2- Verificação do estoque

Quando recebe a solicitação, o almoxarifado deve verificar a disponibilidade dos itens solicitados.

Caso não seja possível fornecer ao solicitante, ou se o nível do estoque tenha atingido o limite mínimo, um aviso de falta de material deve ser enviado ao solicitante.

3- Subprocesso de entrega do material ou aviso de falta de material

Como dissemos acima, na fase anterior do processo surge um Gateway.

Os procedimentos a tomar são dois: avisar o solicitante que não há o item disponível, ou iniciar o subprocesso de entrega do item ao solicitante, descrito na figura abaixo.

O subprocesso conta com as seguintes tarefas: verificação do pedido, separação dos itens e da nota de entrega, encaminhamento do material e comunicação do envio do material.

Veja também: Gateways: exclusivos, inclusivos e muitos outros!

4- Solicitação de compra

Caso receba a notificação de que o item que pediu está em falta, o solicitante deve fazer um pedido de compra, a outro departamento (em outra piscina), o de compras.

É importante ficar claro que esta responsabilidade é do solicitante, e não do almoxarifado. Dessa forma, fica documentado quem pediu o material e terá que responder por sua aquisição.

5- Confirmação do recebimento

Ao final do processo de solicitação de materiais, independentemente dele ter sido entregue diretamente pelo almoxarifado, ou adquirido pelo departamento de compras para que o almoxarifado o entregasse ao solicitante, é importante que duas tarefas sejam executadas:

A comunicação de envio do material, por parte do almoxarifado, e a confirmação do recebimento, por parte do solicitante, para que os eventos finais ocorram de forma documentada.

Leia mais: Controle de não conformidades: clientes satisfeitos

Solicitação de materiais especiais

Este processo de solicitação de materiais que apresentamos é genérico e deve ser adaptado para se adequar à realidade de sua empresa.

No caso de medicamentos, por exemplo, assim como materiais explosivos, inflamáveis, tóxicos, raros, muito valiosos, munições e outros, mais etapas, tarefas e até mesmo agentes devem ser incluídos neste processo.

O mesmo ocorre com a solicitação de materiais em organizações governamentais, onde a privacidade, o sigilo e, principalmente, a rastreabilidade são pontos importantíssimos.

Com HEFLO, o software de modelagem processos moderno e online, você pode fazer qualquer tipo de adaptação em seus fluxos de processo com extrema facilidade e rapidez.

Seu editor arrasta e salta, além de menus autoexplicativos para o preenchimento de textos, definição de piscinas, raias, agentes, tipos de gateways e muito mais, fazem a atividade de modelagem de processos muito mais ágil e agradável, utilizando o moderno conceito de BPM Low Code.

Saiba mais sobre este assunto: AS 10 perguntas para escolher um Low Code BPM para seu negócio

2 Comentários. Deixe novo

  • Avatar
    AMILTON GARCIA
    abril 25, 2019 8:07 pm

    boa tarde
    desejo saber se vcs tem um programa com todos os passos, formularios e diretrizes que eu poso implantar no meu sistema??????????
    xxxxxxxx

    Responder
    • Wallace Oliveira
      Wallace Oliveira
      abril 25, 2019 9:53 pm

      Olá

      Usando os recursos de automação do HEFLO você pode criar esses passos e formulários. Veja os vídeos do nosso canal Youtube ou adquira o curso de modelagem BPMN.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu