O que é iBPM? Um passo a mais, além do BPMS

iBPM significa, em inglês, Intelligent Business Process Management. O iBPM é um conceito mais amplo do que o BPMS (Business Process Management Suite – um conjunto de ferramentas que dão suporte a BPM). Isso porque o iBPM acrescenta outras tecnologias para prover um suporte ao IBO (Intelligent Business Operations). Entre elas, podemos citar:

  • a análise de negócio em tempo real
  • o Big Data
  • o processamento de eventos complexos (CEP – Complex Event Processing)
  • as tecnologias para o uso da mobilidade
  • a colaboração
  • as mídias sociais

Ficou claro para você o que é iBPMS, com essa definição?

Em resumo, é possível afirmar que o iBPM usa todas as vantagens e benefícios do BPM que conhecemos, mas acrescenta tecnologias que permitem uma inteligência adicional para se atingir resultados ainda mais satisfatórios. Ele dá um passo adiante, criando um ambiente tecnológico dinâmico focado em agregar valor por meio dos dados.

Nesse contexto, com a transformação digital trazendo diversas oportunidades tecnológicas para agregar valor aos negócios – buscando eficiência em processos e satisfação dos clientes – o iBPM ganha destaque entre as empresas, e já faz parte dos planos estratégicos de muitas delas.

Neste post, você vai entender melhor o que é iBPM e como essa tendência pode influenciar positivamente o gerenciamento do seu negócio.

Veja também em nosso blog: O que é Decision Model and Notation DMN?

O que torna o iBPM tão significativo?

Para realmente entender o que é iBPM, é importante levar em conta a primeira letra dessa sigla: i, de inteligência.

O objetivo do iBPM é enriquecer as práticas do BPM com tecnologias que podem tornar sua aplicação mais inteligente. Isso se traduz em decisões mais inteligentes, apoiadas em mais dados e focadas em dados reais.

É a informação que se torna o foco do iBPM, não os processos. Dados transformados em informação, conhecimento e insights vão ajudar a criar processos cada vez mais eficientes e que entregam mais valor ao cliente final.

Se o BPM, entre outras atividades, analisa e modela processos e usa os dados coletados em tempo real para melhorá-los continuamente, o iBPM usa uma grande quantidade de dados e as ferramentas certas para para tratá-los. E, com essa capacidade de análise multiplicada, é possível modelar processos de forma muito mais assertiva.

Assim, se sua empresa usa um BPMS (Business Process Management Suite) para analisar, modelar, criar protótipos, testar, por em prática, controlar e melhorar processos, com o iBPM poderá fazer isso contando com mais ferramentas.

Ou seja, o iBPM usa uma suíte de aplicativos ainda mais completa, que conta também com as ferramentas necessárias para o uso adequado das demais tecnologias que proporcionarão mais inteligência ao BPM.

Confira este infográfico divulgado pelo blog Pega, que ilustra mais algumas das vantagens do iBPM para sua empresa:

O que é iBPMEfeitos positivos do iBPM

Segundo o infográfico, o iBPM possibilita o fim dos silos corporativos em que informações e dados eram considerados “propriedade” de determinados departamentos da empresa e nunca eram compartilhados. Com isso, o iBPM integrará departamentos e unidades de negócios.

Com mais dados e capacidade de análise, o iBPM proporcionará também uma crescente melhoria contínua, com auxílio da automatização de processos de negócios. Além disso, a cooperação entre TI e os demais departamentos será ampliada. Por fim, os clientes serão colocados no coração de cada processo da empresa.

Este artigo de nosso blog também pode interessar você: Business Process Management Suite: todas as ferramentas BPM reunidas

Como surgiu o termo iBPM?

Em 2012 a conceituada empresa de consultoria internacional Gartner cunhou esse termo e o divulgou durante a Gartner Business Process Management Summit, em Londres. O Gartner Group rotulou o iBPM como “a próxima geração do BPM”, neste evento.

Mas como se definiu o que é iBPM, afinal, segundo as conclusões dessa cúpula?

Entre outras conclusões, ficou claro que as organizações precisam ir além da mera otimização de processos baseada na redução de custos e na busca da eficiência. É preciso se tornar mais flexível à mudanças constantes do mercado e da dinâmica de consumo.

Na pauta dessas transformações estavam a inteligência em tempo real, tecnologias de tomada de decisão e a capacidade ampliada de análise de dados. Assim, o iBPM foi definido com a evolução do BPM.

E resumo, a conclusão final foi que as suítes de programas BPM tenderiam a evoluir dos pacotes BPMS para iBPMS, isto é:

“O mercado de suíte de gerenciamento de processos de negócios inteligente (iBPMS) é a evolução natural do mercado anterior de BPMS, adicionando mais recursos para maior inteligência nos processos de negócios. Recursos como validação (simulação de processo, incluindo “what if”) e verificação (conformidade lógica), otimização e a capacidade de obter insights sobre o desempenho do processo foram incluídos em várias ofertas do BPMS por vários anos. Os conjuntos inteligentes de gerenciamento de processos de negócios adicionaram suporte aprimorado à colaboração humana, como integração com mídias sociais, tarefas de processo habilitadas para dispositivos móveis, análise de fluxo contínuo e gerenciamento de decisões em tempo real.”

Confira mais este infográfico, divulgado pelo blog do Horizon Line Group, que traz uma infinidade de tecnologias que o iBPM usa em auxílio das práticas de BPM e podem ser incorporadas a um iBPMS:

O que é iBPMVocê sabe o que é IBO? Descubra agora: IBO (Intelligent Business Operations)

As 10 características principais do iBPMS

O Gartner também definiu as 10 principais funcionalidades, características e vantagens de um bom iBPMS, confira:

  1. Um mecanismo de orquestração de processos para impulsionar a progressão do trabalho de processos estruturados ou não estruturados
  2. Um ambiente de composição orientado por modelos, para projetar processos, seu suporte, atividades e artefatos
  3. Gestão de interação de conteúdo para apoiar a progressão do trabalho com base em alterações no próprio conteúdo (como documentos, imagens e áudio)
  4. Gerenciamento de interação humana para permitir que as pessoas interajam naturalmente com os processos em que estão envolvidas
  5. Conectividade para vincular processos aos recursos que eles controlam, como pessoas, sistemas, dados, fluxos de eventos, metas e indicadores de desempenho (KPIs)
  6. Análise ativa (às vezes chamada de inteligência contínua) para monitorar o progresso das atividades e analisar mudanças nos processos e em torno deles
  7. Análise sob demanda para fornecer suporte à decisão ou automação de decisão usando análise preditiva ou tecnologia de otimização
  8. Gerenciamento de regras de negócios para orientar e implementar a agilidade do processo e garantir sua conformidade
  9. Gerenciamento e administração para monitorar e ajustar os aspectos técnicos do iBPMS
  10. Um registro ou repositório de componentes do processo para alavancagem e reutilização desses componentes

Confira este infográfico que resume de forma objetiva e visual essas 10 características do iBPMS:

o que é ibpm

Por que implementar iBPM em seu negócio?

Como você viu, iBPM é um sistema BPM mais avançado. Uma de suas principais funções é auxiliar na tomada de decisão e, até mesmo, automatizar esse processo tão complexo.

Mas, além desse incrível benefício, porque implementar o iBPM em sua empresa? E quais desafios serão enfrentados nesse processo?

Uma das premissas, antes de qualquer iniciativa em direção do uso de iBPM em seu negócio, é ter uma cultura do uso do BPM na empresa.

Caso o BPM já não seja uma prática de sucesso em seu negócio, é preciso dar um passo atrás, implantar o BPM adequadamente para, só então, pensar em usar o iBPM em sua organização. Esse, na verdade, é o grande desafio ao implementar iBPM.

Em seguida, é preciso definir em que exatamente a adoção do iBPM e de um iBPMS podem auxiliar seu negócio.

Sem um objetivo, um bom motivo para adotar o iBPMS, esse projeto não vai funcionar.

Adotar o iBPM simplesmente porque se trata de uma tendência, ou o ”futuro do BPM”, carece de fundamentos concretos capazes de engajar seus colaboradores nesse complexo processo de mudança organizacional.

Veja 3 razões pelas quais pode valer a pena adotar o iBPM em sua empresa.

3 bons motivos para usar iBPM em sua empresa

Segundo matéria do blog TechTarget, há 3 formas principais  de usar o iBPM em uma empresa.

A primeira, e a mais usada delas, trata-se de criar uma extensão do BPM tradicional para usuários móveis. Com isso, o escopo geral dos aplicativos de BPM é ampliado e acaba se aproximando dos próprios processos de negócios.

Ao poder usar o BPM de onde estiver e quando quiser, fica muito mais fácil analisar, modelar, otimizar e automatizar os processos de negócios

A segunda forma de uso do iBPM é a expansão das análises de dados para identificar tendências. Isso se dá, principalmente, com a análise do progresso e do sucesso das práticas passadas.

Ao analisar com mais dados e mais agilmente o que deu certo e o que precisou ser melhorado, é possível determinar ações futura de forma mais assertiva.

A terceira e talvez a mais importante em longo prazo é a introdução do processamento de eventos complexos (CEP) para mudar o foco da análise para o suporte em tempo real dos colaboradores, permitindo uma tomada de decisão mais ágil e inteligente.

Com o objetivo definido, ficará muito mais fácil adotar o iBPMS em seu negócio.

A partir daí, deve-se proceder a escolha do melhor software que possa atender a um ou mais desses objetivos. Treinamento e capacitação da equipe são fundamentais, também.

Qual a diferença entre iBPM e BPM, afinal?

Depois de todas essas explicações sobre o que é iBPM, ficou claro para você a diferença entre ele e BPM?

Alguns especialistas dizem que, na verdade, não existe uma diferença clara entre BPM e iBPM. Trata-se de uma questão de analisar as funcionalidades usadas caso a caso e entender como as novas tecnologias estão auxiliando a prática do BPM em cada empresa.

Segundo as palavras de Clay Richardson, analista estratégico empresarial:

“Eu não consigo ver clientes usando o termo ‘iBPM’ para um caso concreto de uso. Eu acho que os clientes, se tiverem um caso de uso, seria algo como ‘estamos usando nossa plataforma de BPM para impulsionar o digital’. Esse é o caso de uso mais comum que vejo. […] Gastamos muito tempo tentando delinear essas tecnologias, quando as diferenças entre elas são graus de sofisticação e o quanto elas nos permitem realizar. Gostamos de rotular as coisas. E isso é uma enorme distração”

Portanto, não vale a pena quebrar a cabeça atrás de um diferença fundamental que delimite o que é BPM e o que é iBPM.

No entanto, alguns pontos podem ser destacados como tecnologias que costumam estar presentes em uma abordagem de iBPM:

  • Análise de dados em tempo real para auxiliar IBO (Intelligent Business Operations)
  • Plataforma interativa com mídias sociais
  • Uso de plataformas mobile
  • CEP – Complex Event Processing

Veja também em nosso site: EPC – Event-driven Process Chain)

Você já conhece o iBPMS? Usa em seu negócio?

Agora que você entendeu definitivamente o que é iBPM (intelligent Business Process Management), conte para a gente nos comentários o que acha dessa nova abordagem do BPM.

Já usa em seu negócio? Quais os resultados? Pretende usar em breve?

Vamos lá, publique sua contribuição e vamos iniciar esse debate sobre o que é iBPM!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu